19 Jul 2016

Episode 7 - Um inesperado Novo integrante

PS.: O motivo de eu não postar mais durante este tempo foi que a historia começou a ficar meio “fora dos padrões”. Espero que analisem a situação e vejam com outros olhos.

———-
(…)

Uma semana após o ocorrido com a vadia, meu pai pegou um processo muito bom para defender contra o estado. Ele ficou cerca de 3 meses imerso para resolver o caso. Via ele apenas apos as 23h, depois do seu treino. Eu estava terminando um TCC e também estava muito ocupado. Mesmo assim, não deixamos de nos cuidar.
Na semana que estava terminando o TCC, recebi a noticia de que meu primo Igor estaria se mudando para minha casa, para terminar o ensino médio numa escola melhor. Ele queria se preparar para o vestibular. A última vez que tinha visto ele foi quando ele tinha 11 anos, quando eu morava no interior. Naquela época já via um potencial para ser um rapaz muito bonito. 
Fiquei ansioso para ver como ele estaria depois de tanto tempo. Me empenhei para acabar de vez o TCC e ficar livre para dar atenção com a sua mudança.
Meu pai finalizou o processo e já se notava um certo alivio sobre seus ombros. Fiquei pensando no tamanho do seu tensão para descarregar apos 3 meses em reuniões estressantes com os clientes. Isso me deixava animado pois eu também precisava descarregar todo o estresse do maldito TCC.
Na sexta meu pai vem falar comigo:

 - Tiago! Tá sabendo que o Igor chega no domingo ?
- Sim, sei sim. Ele vem em que voo ?
- Não tem voo, hehehe, é uma roça lá, vou buscar-lo de caminhonete. Você quer ir ?
- Putzz. Marquei um professor particular para revisar meu TCC amanha, não vou poder ir. 
Ok, são 5 horas de viagem, acho que seria perda de tempo mesmo para você. 

Estava muito arrependido de não poder ir pois sabia que iria ser um tesão voltar esfregando neles no banco da frente, mas não teve jeito. Pensei só em terminar o TCC para ficar livre.

No sábado, logo de manha, meu pai levantou e me acordou para tomar café. Ele já estava quase de saída. Desejei boa viagem com um aperto de mão e um abraço forte e longo, passando as mãos nas suas costas enquanto ele retribuia. Fazia tempo que não o abraçava daquele jeito, estávamos sem camisa e senti seu peito e abdome colado no meu, meio suado do calor do verão. Senti seus pelos passando nos meus e meu pau começou a levantar. Eu estava usando uma samba-canção bem folgada e meu pau começou a levantar pelo meio das pernas dele até encostar embaixo do seu saco. 
Ele estava com uma sunga branca, meia velha e folgada e quando acabamos o abraço, fui lentamente afastando meu corpo do dele e a ponta do meu pau foi deslizando pelo saco até chegar no pau seu pau. Entao ele me segurou pelas costas e disse que não era para me preocupar que era bate e volta. Ele olhou para o meu pau e fingiu que não percebeu. O pau dele estava meia bomba, para baixo e meu pau tava encostando entre o saco e a cabeça do pau dele. Então ele foi logo se sentando rápido e colocou um pano de prato no colo para disfarçar. Fiz o mesmo para não ficar aquele clima de silencio. 
Depois do café, ele colocou uma calca de moletom, pegou uma mochila e entrou no carro. Estava muito calor e ele foi sem camisa mesmo. Estava com uma cara de safado e com pau meia bomba, certamente iria aprontar nessa viagem. 
Sábado e domingo passou como a eternidade para mim. Estava louco para ver eles chegando e rever meu primo. No domingo de tarde chega a caminhonete. Fui destravar o portão da casa e quando olho para dentro do carro estava os dois somente de sunga, suados e um detalhe: meu primo estava de pau buraco para o lado e meu pai com um volumão meia bomba. Meu primo estava muito gostoso, com cara de macho já, todo sarado, falando grosso, loiro de olhos azuis e barba por fazer, um verdadeiro homem com cara de pegador. O pau dele parecia ter uns 21cm, um pouco maior que o nosso, grosso, cabeça marcando, fazia um volumão delicioso. Dei uma secada boa nele e ele percebeu. 

Meu pai tratou logo de explicar o que tinha acontecido:

- Pai: A porra do ar-condicionado quebrou logo que saímos de lá. Fiquei muito puto, essa caminhonete não tem 1 ano! 
- Eu: Caralho! pegaram esse calor dos infernos por 5 horas ? Pqp, eu tinha vindo pelado, hahahah! 
- Igor: E ai Tiago, tudo certo! Quanto tempo ! Nossa cara, tava quase sugerindo isso mesmo para o tio, eu estava sem cueca e peguei emprestado essa sunga com o tio, hahahahahaha, só ia ficar meio estranho dois machos, pelados numa caminhonete, hahahahaha, vai que para um policial.
- Eu: Tudo certo Igor, pooo, vc tá muito diferente, nem parece mais aquele garotinho que eu pegava no colo e brincada de lutinha, lembra ? Hahaha, vamos entrar que fiz um café para vocês.

Caminhonete nova com problema no ar ? Não iria achar tão suspeito isso se o pau do meu primo não estivesse tão duro naquela sunga. Fiquei com muita curiosidade sobre o que aconteceu nesse trajeto com os 2 sozinhos no carro. Dei um abraço nos dois e aquele pau duro do meu primo me deixou louco. Todos suados, com cheiro de macho, deu vontade de lamber os dois inteiro.

———-PREVIA—————-

Assim que eles foram tomar banho, fui no carro ver o que tinha de errado com o ar-condicionado. Liguei o carro e o botão e estava tudo ok ar. Acho que meu pai deve ter falado que tava estragado para ficar se mostrando para o muleque. O pau do Igor estava muito duro, acho que meu pai veio passando a mao no pau para despertar o tesao do Igor, exatamente como ele faz comigo. Eu teria que vigiar mais eles para ver o que meu pai faz quando estão sozinhos.
No final de semana que meu pai foi buscar Igor, eu puxei um cabo do sistema de câmeras de segurança para a TV do meu quarto para acompanhar o movimento na casa. No ano anterior, fomos assaltados e meu pai colocou cameras e cerca eletrica por toda a casa. Tive que descobrir a senha do sistema e olhando as configurações, percebi que as únicas cameras que estavam gravando era as de fora de casa. Eu estava louco para ver algo gravado mas infelizmente não tinha nada. Botei para gravar em todos os ambientes. Ativei também as câmeras dos banheiros que estavam desativadas.
No café, meu primo Igor fala:
- Igor: Vou dormir no seu quarto tio ? 
- Pai: Sim, o de hospedes está em reforma. Minha cama não é muito grande mas acho que cabe dois marmanjos. 
- Igor: Tá de boa !
- Pai: Mas logo você terá um quarto.
- Igor: Não tenho pressa não tio! To aqui de favor.
- Pai: Ah, aqui em casa, eu e o Tiago somos bem de boa quanto a qualquer coisa, se quiser trazer amigos, namorada, andar pelado por ai, fique a vontade, macho não tem vergonha de nada. Se quiser usar a piscina, a banheira, até pegar minhas roupas emprestadas e etc, a casa é sua.
- Igor: Hahahaha… valeu!

A mesa da cozinha é de vidro e é possível ver a jeba do Igor quase dura, para o lado, esticando um pouco moleton, já o do meu pai estava meia-bomba com a cabeça marcando, para baixo na sunga sem forro( ele só tem sungas sem forro, também retiro da minha para ficar igual ao pau dele, marcando bem, coisa de safados). 
A cada hora que passava eu ficava mais curioso para saber qual era a do Igor. Quando éramos pequenos, nós brincávamos de lutinha e sempre ficávamos de pau duro se esfregando. Gozei varias vezes só esfregando no rabo dele e ele também.
A semana foi passando e o clima de descontração foi ficando cada vez maior entre nós. Meu primo já estava entrando nas piadas de duplo sentido e já estava andando de cueca, moletom sem cueca, sem camisa, tomando banho e mijando de porta aberta e etc. 
Passando 2 semanas que Igor tinha chegado, resolvi ver o que tinha nas gravações das câmeras. Fui passando em cada câmera das gravações e vi algumas coisas curiosas acontecerem: Meu pai gozando em um masturbador que imita um cuzinho, transparente como o da foto: 
  Nove dias antes, as 06:00 AM, ele vai ate a pia da cozinha, tira o pau duraco por baixo da sunga, joga um pouco de detergente, espalha com a mao e depois lava. Ainda com o pau para fora, ele abre a porta de um armario, pega o masturbador, coloca no microondas com um pouco de lubrificante, esquenta um pouco, coloca no pau e começa a socar uma até gozar dentro uns 8 jatos fortes, dá para ver seu pauzão dentro do masturbador gozando, uma delicia de gozada. Depois ele volta com o masturbador para o quarto. Nos outros dias, assim que ele levanta da cama, na manhã, vai até a cozinha de pau duro com o masturbador, soca, goza e volta para o quarto. 
Dei uma verificada no que acontecia antes das 6:00 AM, no quarto, com os dois dormindo na mesma cama. Em um dos dias, meu pai acorda e dá de cara com Igor de bruço, de valete com ele(cabeças opostas na cama), nú, com o rabao para cima, com os coxão afastados, e certamente meu pai conseguia ver o cuzinho loiro dele de onde ele estava. 

Então ele tira o pau por baixo da sunga e começa a socar. Depois ele pára, guarda o pau de novo na sunga pulsando forte. A baba vai molhando a lateral da sunga enquanto pulsa. Depois, ele tira o pau novamente, soca outra vez, pára e guarda o pau. Ele repete isso umas 10 vezes até se levantar e vai para a cozinha descarregar a porra no masturbador. No outro dia antes das 6:00 AM, Igor está deitado, nú novamente, com o pau duraco, só que de abdome para cima e meu pai fica olhando o pau de Igor pulsar. Meu pai coloca a mao dentro da sunga e vai mexendo lentamente enquanto olha para o pau dele, fica uns 15 minutos fazendo isso. Então ele levanta e vai para a cozinha. Igor abre os olhos assim que meu pai sai do quarto e começa a socar uma também. Então quando ele escuta meu pai voltando, ele se vira de bruço, com o rabão para cima e finge estar dormindo. Meu pai dá uma olhada e vai para o banheiro da suite e deixa o masturbador em cima da pia. Depois ele sai do banheiro com a sunga toda babada de porra, coloca a calca social assim mesmo, abotoa a camisa olhando para seu rabo empinado, arruma a gravata e sai. 
Em todos os dias, Igor pega o masturbador todo gozado apos meu pai sair, despeja a porra do meu pai no seu pau, colocar um pouco na boca e vai socando o masturbador no pau até gozar um monte dentro. A porra dos dois vai escorrendo pelo seu saco e o restante ele passa no peito e abdome, depois volta a dormir todo sujo. 
Pelo visto eles fazem um jogo de sedução entre eles, um fica provocando o outro para ver quem vai tomar uma iniciativa. É claro que meu pai não tomaria iniciativa, ele é muito cauteloso, mas nunca se sabe o que o tesao pode fazer conosco.
Em um dos vídeos, vi que Igor espiou meu pai gozando no masturbador. Meu pai também viu Igor usar o masturbador todo gozado com a porra dele pela fechadura da porta. São dois safados do caralho que estão loucos para se pegarem, só pode, acredito que isso só não aconteceu por causa da idade do Igor.
No outro video, Igor vai até o banheiro procurar o masturbador, de cueca branca bem velha, com a costura lateral rasgada e um pouco apertada, ele acha o masturbador em um armário e volta ao quarto, fecha a porta, senta na cadeira com as pernas bem abertas, puxa a cueca para o lado e tira o pau duraço, pega o masturbador e vai despejado a porra na cabeça. O tesão era tanto que o pau dele começa a pulsar forte e intensamente enquanto a porra vai pingando no pau dele, passando pelo saco. Me deu um tesao fudido ver isso, ele faz luta olimpica, é todo macho e gostoso, tem um coxao e um rabao delicioso, empinado, com uma jeba grande e grossa, reta e um saco com bolas bem definidas, loiro, pele bem branca, pentelhos grandes, um muleque de se admirar. Ele começa a socar uma lentamente, todo lambuzado de porra que tem a mesma textura de um leite condensado, bem branca e espessa. Eu estava morrendo de tesao vendo a gracaçao, meu pau estava estourando, não podia nem encostar nele.
No mesmo instante, na outra câmera, aparece meu pai chegando em casa, ele vai direto para a lavanderia, tira a roupa social e joga na maquina. Sua sunga estava toda cheia de manchas branca da gozada que ele tinha dado naquela manhã, ele dá uma arrumada no pau que está meia bomba, coloca para baixo, olha as manchas da sunga e sai. Sua jeba volumosa fica curvada, fazendo uma volta que vai na direção da parte de baixo do saco, ficou tão evidente que não tem como não perceber seu volumão, quem tem pau grande sabe bem dessas coisas, é difícil fazer algo grande ficar discreto. Em seguida ele vai para o quarto, abre a porta vagarosamente, olha o Igor socando com o masturbador todo gozado. Ele fecha a porta sem fazer barulho, dá três batidinhas na porta para avisar que vai entrar e entra. Igor coloca o pau para dentro da cueca rápido e finge estar sentado na cadeira relaxando. Aumento o som da gravação para ouvir a conversa:

- Pai: E ai Igor, tudo certo por aqui!?

Meu pai estende a mão para cumprimenta-lo. Igor aperta forte com a mão toda melada de porra. Sua cueca estava toda molhada e o desenho do seu pau estava evidentes. Seu pau duraco na cueca ainda pulsava. Meu pai olhou bem o pau dele enquanto cumprimentava.

 
- Igor: E ai tio, tudo certo, tava aqui sentadão, relaxando um pouco. Queria ir para a piscina mas não trouxe nada para usar, só essa cueca.
- Pai: É, essa cueca tá muito transparente, é melhor voce pode pegar na gaveta de baixo uma sunga minha, tem várias, de vários tamanhos … só que estão sem forro.
- Igor: Tipo essa que voce está usando, hahaha! Sem problema, sem forro não aperta, deixa o bixo soltão, ainda mais que é difícil guardar isso aqui em qualquer sunga. 
- Pai: É… coisa grande as vezes é um problema… Ainda mais quando está duraça.. Tipo a sua agora, hahaha.
- Igor: Hahaha, ou tipo a sua que tá ficando duraça, hahaha.

Meu pai olha para baixo, do lado da cadeira e vê o masturbador meio que escondido. Ele passa a mão toda melada no seu pau, por cima da sunga para limpar enquanto conversa com Igor. Nisso, o seu volume começa a aumentar. Igor dá uma olhada no cacete dele e se perde no que estava falando vendo o pau começar a inchar na sunga.

- Igor: é… não dá para esconder o que é grande, tem mais é que mostrar, hahahah …Ah, falando nisso, mostra ai como você deixa os pentelhos ai dentro, você falou na viagem que elas gostam do jeito que você deixa.
- Pai: Hey! Que viadagem é essa? Tá querendo ver meu saco?
- Igor: Hahahaha, to querendo deixar igual ao seu para não fazer feio na frente das meninas. Qual é tio! Você tinha falado que você e o Tiago eram tranquilos, sem frescuras, falavam de qualquer assunto na boa, achei que era mais tranquilo tirar algumas dúvidas. Você é experiente.
- Pai: Sim, somos sim, mas o Tiago nunca perguntou isso.
- Igor: Não perguntou porque já deve ter visto e deixa igual ao seu.
- Pai: É, realmente ele deixa igual ao meu.
- Igor: Então tio...só puxa aí a sunga do lado do saco para eu ver. Não precisa tirar tudo pra fora, não precisa mostrar a jeba? É só para eu ver e fazer igual com o barbeador agora no banho.
- Pai: É…seguinte…deixa eu ver como tá o seu que te falo se tá ok ou não.
-Igor: Ah blz então, só tá meio molhado que to suando nesse calor.

Então, Igor levanta uma das pernas e apoia na cadeira e puxa a parte de baixo da cueca, descobrindo somente o saco que cai, são duas bolas pesadas, grandes, com pentelhos de uns 5cm, dourados, tudo melado com a porra que estava dentro do masturbador. Meu pai olha, pede para ele segurar as bolas, depois para colocar para lado, para o outro e fica analisando, em pé na frente dele, quando ele puxa as bolas para o lado, meu pai fica olhando o cuzinho dele todo melado de porra. O pau do meu pai começa a dar sinais de que ia se levantar, ainda estava apontado para baixo, curvadao, descendo ate o saco. Enquanto ele olhava, seu pau começou a envergar e forcar a sunga para baixo. 
Os pentelhos de cima começaram a aparecer conforme sua jeba forçava a sunga para baixo. Igor fica olhando o pau dele crescendo enquanto meu pai olhava as bolas e cuzinho do Igor com uma cara de que estava pensando besteiras. O pau de Igor começa a crescer novamente e pulsa dentro da cueca, atravessado para o lado. A cada pulsada longa e intensa, suas bolas subiam e desciam como se estivesse com muita vontade de gozar. Deviam estar cheias de porra pelo tamanho. A cabeça do seu pau começa a aparecer pelo rasgo da costura lateral da cueca.
Meu pai olhava fixamente aquele pau grosso e grande dentro da cueca, todo molhado de porra, com o tecido todo colado no corpo do seu pau e meio transparente, com as bolas para fora, se movendo com as pulsadas fortes e intensas. 

O pau do meu pai já estava esgaçando a sunga, com o pau curvadao para baixo e inchadao. Em instantes seu pau comeca a se progetar para a diagonal inferior, querendo assumir a posição reta, para frente. 

Já era possivel ver tudo que tinha por dentro da sua sunga, os pentelhos de cima do pau e das laterais do saco começaram a sair. Igor acompanha sem piscar os olhos, com a boca entreaberta.
Após crescer e inchar, o pau do meu pai começou a pulsar e a cada pulsada, a sunga era esgaçada um pouco mais para a diagonal inferior, era uma pulsada longa e intensa, que envergava o pau por aproximadamente 2 segundos, e voltava. Imaginei como deveria ser receber uma gozada no rabo com essas pulsadas intensas e longas, deve ser um tesão, ainda mais de um pau de 20cm, grosso e retão com uma cabeça bem desenhada. Meu pai devia estar ha uns 3 meses sem foder, e louco de tesao pelo cuzinho e pau do Igor.
Na terceira pulsada, a ponta do pau do meu pai começa a babar, vertendo um líquido transparente e viscoso que molhava a sunga. Dava para ver todo o saco dentro da sunga pelo vão de cima e das laterais. Eram dois bagos pesados, grandes, bem desenhados, cheio de pentelhos grandes e meio lisos. Igor inclina sua cabeça para ver melhor por dentro da sunga e fala:

- Igor: Caralho, nem precisou puxar a sunga para o lado, já to vendo tudo dentro dela. Você nunca cortou os pelos? São muito grandes! Que porraço isso, ainda bem que seu pelo é meio liso, se não, não daria para ver tão bem as bolas do seu saco nem a pele por baixo dos pelos.
Pai: Pois é, eu não corto nada, temos a sorte ter os pelos na medida certa, lisos no peito que vai descendo pelo abdome e juntando com os pentelhos, recebo muitos elogios. O seu também está crescendo assim, tá massa já, bem loiro. Vai ficar tipo o meu em pouco tempo.
- Igor: Pooooo, que bom, acho muito massa assim, já tinha meio que reparado isso em você na viagem....Não to vendo direito mas os seus pentelhos sobem pelo corpo do pau? Vai até aonde? Perto da cabeca?

Meu pai fica meio que sem reação e Igor tira o pau para fora por baixo da cueca. Seu pau salta e pula para frente, envergado para cima junto com as bolas. Igor pergunta se os pentelhos subiam pelo corpo do pau igual o dele. Meu pai assustado, olha para o pau duraço do Igor e fala:
- Pai: Hey! Guarda isso!
- Igor: Nao nao tio! Ia só mostrar esses pentelhos aqui que sobem pelo corpo do meu pau, é assim o seu ?
- Pai: É…tá bem parecido.
- Igor: Ahhhh tio, então tira aí para eu ver o seu. Só quero conferir, rapidão, o meu também tá duraço.
- Pai: É… Só para esclarecer, meu pau tá duraço por outra coisa…
- Igor: Ah blz! O meu tá duraço por outra coisa também, tranquilo!

Meu pai pega por cima da sunga e da uma leve puxada para baixo para mostrar a base do seu pau e fala:
- Pai: Está vendo aqui ? Os pelos sobem pela base do meu pau, igual ao seu.
- Igor: Muito massa…e vai até onde ? Até perto da cabeça ?! Tipo o meu assim ?

Igor fica exibindo o pauzao, parece ter muito orgulho de ter um cacete grande e grosso. Ele insiste para que meu pai mostre o dele por completo. Então meu pai puxa a sunga para baixo lentamente, olhando para a cara dele. Igor fica vidrado no pau do meu pai, esperando sair todo para fora da sunga. Ele puxa a sunga e deixa a cabeça do pau bem na ponta, quase escapando da sunga. Igor fica olhando esperando sai por completo. Meu pai pergunta se já deu e Igor fala:
- Igor: Poooo, ja que mostrou 95%, que diferença faz os 5% ? Hahahahahah.
Então meu pai puxa vagarosamente a sunga e sua jeba salta para cima e cai apontado para frente, duraça, pesada, balançando junto com as bolas. Uma baba viscosa e transparente fica pendurada na ponta como um elástico e é projetada na direção da cabeça do pau do Igor logo abaixo. Seus paus ficam conectados por este fio de baba. Igor percorre os olhos pelo fio de baba, desde a ponta do pau do meu pai até o seu pau. Em seguida eles continuam conversando omitindo a situação de estarem ligados por um fio de baba.
- Igor: Ah, legal, igual ao meu mesmo.
- Pai: Sim, claro, dá até para dizer que vc é meu filho! 

  Meu pai vai pulsando sua jeba e mais baba vai escorrendo de um pau ao outro. Igor percebe que seu pauzão fica totalmente molhado e não consegue controlar as suas pulsadas involuntárias de tesão. Ele estava com uma cara de queria cair de boca no pau do meu pai. O assunto foi acabando e os dois ficam imoveis, só pulsando os paus, olhando um para a jeba do outro, em silencio, curtindo aquela situação. 
Em alguns minutos naquela posição, Igor segura na base do próprio pau, aperta e passa a mão toda melada no abdome. O fio gosmento que escorria do pau do meu pai começa a ficar esbranquiçado na pulsada seguinte e Igor acompanhar com os olhos arregalados a chegada de um pouco de porra no seu pau.

Esta baba esbranquiçada vai se espalhando pela cabeça e escorre por baixo do pau até chegar ao saco do Igor.

- Pai: Percebeu que meu pau baba pra caralho não é? O seu não baba assim ?
- Igor: Até baba mas não tanto, caralho! Como você consegue ?
- Pai: É só ir pulsando assim que vai saindo. São anos de técnica, hahaha.
- Igor: Caralho! Porraço isso! Você controla o quanto sai! Quero conseguir fazer isso.
- Pai: Acho que você pode ficar tentando pulsar que deve sair mais.
- Igor: Deixa eu ver. Assim?

Igor começa a pulsar o pau e os dois ficam olhando para ver o quanto sai. O pau do meu pai pulsa involuntariamente e fica escorrendo baba para o pau do Igor através do fio que conecta os dois.

- Pai: Isso, assim. Eu tinha tomado um viagra para uma foda hoje de noite e desmarcaram, e agora meu pau não para de pulsar babar.
Igor: Ahahahah…eu também tomei viagra para um encontro agora de noite, e eu acabei desmarcando, caralho, que coincidência, hahaha ?!
- Pai: Hahahaha, é… mas que beleza… agora somos dois machos que tomaram viagra, mostrando os pelos para o outro, de pau duraco e ainda babando. Acho melhor fazermos alguma outra coisa se não vou ficar a tarde toda aqui de pau duro tirando suas d/vidas.
- Igor: Ah, já que estamos “com a mao na massa", vamos medir para ver qual é o maior, hahahah.
- Pai: Esse negocio de querer saber o tamanho é coisa de adolescente virgem…acho que acertei não é!?
- Igor: Hahahaha, é…. hahahaha…
- Pai: Tá querendo umas dicas de um cara experiente né ? Mas acredito que você já tenha bastante experiência pois tá comendo o meu cuzinho de látex, hahaha.
- Igor: hehehehh…é, todo dia eu vejo ele no banheiro e não resisto, pena que não é o real.
- Pai: Real ? Hahahah, seu viadao!
- Igor: Hahahaha, to de sacanagem… vamos medir o tamanho então, tenho uma trena flexível aqui.
- Pai: Tá bom garoto, só se você medir o meu, hahaha…

Igor pega a trena e coloca por baixo do seu pau, medindo do saco até a ponta

- Igor: Vejamos…23.1cm…agora mede a sua!
- Pai: 23.1? Que precisao hem! Hahahaha, mas por baixo ?
- Igor: É… mede ai a sua!
- Pai: É… 22.6? Só que tem que medir por cima, do talo até a ponta.
- Igor: Tá bom, vamos ver… 21.1cm…agora mede ai!
- Pai: 20cm…
- Igor: Não não!! Tem que medir certo isso ai, com os milímetros…
- Pai: Então mede aqui para mim seu safado. Essa precisao toda só você sabe medir!
- Igor: Hahahaha… não vou botar a mao nesse seu cacete não! hahahahaha
- Pai: Você não quer saber o tamanho exato? Entao cara! Mede ai !
- Igor: Blz, mas sem sacanagem ok!?! hahahaha.

Igor levanta e encosta a ponta do seu pau na ponta do pau do meu pai e fica enrolando um pouco com a trena na mão, de certo fingindo que está olhando a numeração da trena. Enquanto verifica, seus paus ficam encostando e se distanciando. Forma agora 3 fios de baba bem grossos com a aproximação. Seus paus permanecem conectados e melados.

- Pai: Essa baba vai colar meu pau no seu daqui a pouco!
- Igor: Hahahaha, tipo super bonder, hahahah. 

Então Igor tenta medir colocar a trena sem encostar no pau do meu pai mas não consegue. Então ele pede para o meu pai segurar a fita métrica no talo e vai desenrolando até a ponta toda babada. Ele fica olhando a numeração enquanto o pau do meu pai ficar pulsando involuntariamente. Igor deixa o pau proximo e o fio de baba não se desafaz. 
- Igor: Hahahah, tá vivo! tá vivo! hahahah

O pau de Igor também pulsa e sua cara fica muito próxima da cara do meu pai. Eu estava torcendo para que ele beijasse a boca dele de uma vez… Essa enrolacao dos dois estava me deixando louco.

- Igor: Hahahah, ele tem 20.6cm, hahahah, ganhei por pouco!
- Pai: Então eu tenho 5 milimetros a menos que vc, hahahah, quanto diferença!

Meu pai fica de pé conversando com Igor e vai novamente aproximando as pontas do seus paus até encostar. Igor fica imóvel e sem reação. Meu pai pergunta se queria saber mais alguma coisa e Igor só balança a cabeça fazendo sinal que não. Então os dois ficam só com a ponta dos paus encostados e Igor, lentamente, afasta o pau e fica olhando a baba formar um fio entre os dois paus. Igor encosta o pau novamente e mela mais um pouco a cabeça. Meu pai fica somente olhando as duas picas se encostarem. 

- Pai: Blz então…guarda essa jeba de 21.1cm e eu vou guardar o minha de 20.6cm. Vou tomar um banho para dar uma acalmada na banheira.
- Igor: Ahh, eu ia fazer o mesmo, hahaha!
- Pai: Tomamos junto então… pode ser?
- Igor: é…. sim sim, mas… só tem essa banheira ?
- Pai: Sim, só essa aqui da suite. É apertadinho mas cabe com jeitinho.
- Igor: Hum, hahahah
- Pai:  Só deixa eu pegar um drink e ja volto. Vai enchendo a banheira.

Meu pai sai do quarto arrumando o pau para dentro da sunga e vai até a sala de estar pegar um drink, ele faz duas dozes de Absinto(60% de alcool) e volta para a suite. Igor já estava com o pau meia-bomba dentro da cueca e estava esperando a água encher.
- Pai:  Trouxe aqui um “goró” para você também.
- Igor: O que é ?
- Pai:  Prova ai, vê se descobre…
- Igor: Ahhhhhhh, é álcool puro, pqp…
- Pai:  Fraquinho você hem! hahahahah. Segura os drinks ai, vou entrar.

Meu pai puxa a sunga e seu pau cai já meia bomba e volumoso. Igor tenta não olhar mas seus olhos ficam constantemente "conferindo o material”. Meu pai senta e fala que ele já pode entrar. Igor passa os copos a ele, tira a cueca com o pau já querendo ficar duro e entra rápido. Igor se posiciona encostando saco com saco dentro da banheira, seu pau fica por cima do seu abdome enquanto o do meu pai fica para baixo, descendo junto com o saco. A cabeça do pau do meu pai alcança o fundo da banheira, bem próximo do cuzinho do Igor. Meu pai dá de cara um gole único e toma toda a dose de absinto. Igor fica admirado e fica bebendo de pouco em pouco. Os dois começam a falar de assuntos variados como regras de Jiu Jitsu, Wrestling, treino e etc. Em uns 30 minutos, os assuntos sobre as curiosidades de Igor volta a tona.
- Igor: Quantos cm tem os seus pentelhos ? É grande! Quanto tempo não corta ?
- Pai: Bom, é Seguinte ô ô ô “vinte e um ponto um"…. a dose bateu forte, se eu falar alguma merda não leve a sério… já to no automático. Mede ai você! Nem vou lembrar disso amanha, fica tranquilo, hahahaha.
- Igor: Hahahaha, o Tiago já tinha me falado dessa sua perda de memória com os destilados, hahahah
- Pai: Ah é ? Puts…. e ele falou algo que já fiz nesse estado ?
- Igor: Não não, só comentou isso, para eu ficar ligado pois você podia precisar de uma ajudinha.
- Pai: Ah, blz… Mas pode medir ai. 

Igor abre a tampa da banheira para a água sair até chegar na altura dos paus. Seus abdome ficam expostos, com os pelos todos molhados. Então Igor puxa uns pentelhos do meu pai e também puxa outros dele para fazer a comparação. Meu pai fica olhando com um sorriso de safado. Ao encostar saco com saco, a cabeça do pau do meu pai encosta na parte de baixo do saco do Igor e começa a endurecer. Igor fica enrolando na medição e seu pau também começa a ficar duraço por cima do seu abdome.
- Igor: Pooo, o seus pentelhos são 1 dedo maior.
- Pai: Pelo menos os pentelhos são maiores não é!?
- Igor: Você tá levando vantagem no tamanho do pentelho e na quantidade de baba… Mas ainda chego lá.

Igor vai fazendo movimentos muitos sutis com o seu quadril e a cabeça do pau do meu pai fica apontada e encostado no centro do seu cuzinho, quase entrando. Meu pai olha para a jeba de Igor duraça e diz: “É… o gigante acordou de novo…hahahaha.”. Igor segura na base do seu pau e empurra para a direção do meu pai, deixando sua jeba apontada para cima, mostrando ela inteira e fala: “Curtiu o tamanho né!? 21.1cm de sedução, hahahah ”. Meu pai sorri e diz: “É um belo de um cacete, não posso negar… Grande, grosso, reto, com grandes veias…”. Igor retribui o elogio: “Tipo o seu, grande, grosso, reto, babona, pentelhudo, sacao …”. Meu pai aproveita que seu pau está na bordinha do cuzinho do Igor e fala: “Nessas horas que é bom ter um pau babao… ele entra facil, nem precisa fazer esforço, é só estar na direção certa.”.
Igor sorri e concorda balançando a cabeça enquanto exibe seu pauzao duraço. Eles não percebem mas a água da banheira sai toda e no video noto que meu pai pulsa forte o pau no cuzinho do Igor, em cada pulsada a cabeça quase entra, mas Igor pisca o cuzinho e a cabeça sai novamente. Depois de uns minutos, o cuzinho do Igor  já está bem amaciado. Era tanta baba que o pau do meu pai, na próxima pulsada, fica com a cabeça aprisionada pela borda do cuzinho que já não consegue mais expulsar a cabeça inchada de tesão com as piscadas. O pau do Igor começa a babar diferente, um liquido mais viscoso e esbranquiçado. A cabeça do pau do meu pai devia estar encostando na próstata fazendo pressão, ajudando sair porra junto com a baba.
Meu pai olha e fala: “Já está conseguindo babar como eu… continua… vai pulsando que sai mais… isso… pulsa e segura… outra vez… isso… pulsa e segura por 2 segundos.. ta saindo mais… nossa, aprendeu direitinho… outra vez…. ”. Igor, ainda segurando na base do seu pau, fala: “Caralho! Tá igual ao seu, saindo bastante e com essa parte branca aqui, será que é porra ?”. Meu pai diz: “Ve se é meio salgada e tipo uma cola, se for, é porra misturada com a baba.” Igor se curva como um contorcionista e dá uma lambida na ponta do seu pau e fala: “Caralho…tem porra misturada! Ahahahah”. Meu pai fica admirado com o self-suck e fala: 

- Pai: Você também consegue!… Consegue chupar ou só lamber?
- Igor: Consigo chupar também… sou bem alongado… muito wrestling hahahah… virgem se vira como pode…hahahah
- Pai: Então vai, deixa eu ver…

Igor se curva novamente e coloca a boca toda na cabeça do seu próprio pau babado. Ele desliza sua boca até a metade do seu cacetão e volta. Ele mama como se estivesse faminto por porra, a baba e saliva escorrem pelo corpo do seu pau e molham o pau do meu pai que está só com a cabeça dentro do cuzinho de Igor . Meu pai fica olhando com uma cara de safado cheio de tesão. Na câmera consigo ver que o cacete do meu pai pulsa e dilata o cuzinho do Igor e nessas horas, já deveria estar todo babado por dentro. Meu pai pergunta se Igor quer uma ajuda para colocar mais o pau dentro da boca. Igor, com a boca cheia, resmunga: “uhum!”. Então meu pai pressiona a cabeça do Igor para baixo e ele consegue enfiar quase todo o pau dentro da sua boca. Com isso, o pau do meu pai vai entrando cada vez mais fundo no cuzinho do Igor. Em 5 minutos a jeba do meu pai está enterrada no cuzinho de Igor. Igor então pára de mamar e fala: “ahhhh, caralho, cheguei quase no talo… Agora tenta você!”
Meu pai chama Igor de safado e segura com uma das mãos o cacetao do Igor e com a outra, segura na cintura.  Ele chega a boca bem próxima da cabeça do pau de Igor, dá uma olhada e observa o pauzao dando uma pulsada longa; seu pau pedia para ser mamado. Ele deixa a boca entreaberta e um pouco de saliva pinga de sua boca na cabeça. Ele estava bem tonto, com sua razão abalada pelo absinto, já não conseguia esconder sua vontade de engolir aquele cacetão grande, grosso, babado de porra e pulsando de tesão. Então Igor segura com as duas mãos na nuca do meu pai e pressiona contra seu pau, segurando no fundo da garganta o pauzao inteiro. O pau do meu pai fica enterrado e Igor faz força para entrar mais e abre mais suas pernas. Meu pai fica por 40 segundos com a jeba do Igor enterrada na sua garganta, sem respirar, enquanto Igor pulsa seu pau em sua garganta. Seu rosto fica vermelho e sua jugular salta, parecia que iria sufocar. Igor segura por mais 15 segundos e depois solta. A pica do meu pai pulsa dentro do cuzinho de Igor. Nesta hora, por azar meu, eles me ouvem chamando:
- Igor: O Tiago tá chamando a gente, puta que pariu!
- Pai: Caralho!

Igor se afastar devagar e a jeba do meu pai vai lentamente saindo, duraca , toda babada. O cuzinho do Igor chega a estar largo, escorrendo toda a bada que estava dentro dele. Meu pai diz alto que já estava indo e os dois terminam de tomar banho rápido.
Eu fiquei puto comigo mesmo de ter estragado esta foda que seria a melhor que já tinha visto. Agora, para meu pai tomar coragem novamente, só uma boa dose de absinto para se liberar. Esta era a última gravação da semana e agora que já sei o lance dos dois, eu iria tentar seduzi-los para entrar na jogada. 


<to be continued...>





21 Sep 2012

Episódio 6 - Enfim...

(...)

Coloquei o restante dos talheres na mesa e fui ate a sala chama-los.

Olhei meu pai com a vara volumosa e envergada na sua calça, camisa totalmente aberta mostrando todo aquele peito e gomos de seu abdomem, uma coxa explodindo na calça. Ela estava com a perna cruzada mexendo nos cabelos, de farol aceso(mamilos duros de tesão) e com uma cara de vadia.

Meu pai falou:

- Já estamos indo. ( Olhando a coxa da minha namorada por baixo daquela saia de colegial)

...

Minha expressão, que já estava alterada, mudou para uma constante cara de bravo vendo aquele clima de sacanagem. Chamei-os novamente para o café e ela foi para a cozinha. Meu pai passou por mim olhando minha cara com um leve sorriso.

Ela sentou na cadeira da ponta da mesa e eu ao seu lado. Meu pai desfilava pela cozinha pegando algumas coisas que esqueci de pegar para tomar café. Ela acompanhava aquele rabo e vara de "canto de olho" achando que eu não estava percebendo nada.

Quando meu pai sentou a mesa, ela levantou dizendo que iria no banheiro.

Assim que saiu, meu pai aproveitou e falou:

  - Essa sua namorada não é para você. Ela me secou de cima a baixo quando fui cumprimenta-la.

   - Ahh, ela que secou você então...

   - Você só olhava para mim e nem percebeu. Eu só retribui a secada.

   - E você quer que eu acredite ? É por isso que nunca trago ninguém aqui.

   - Vamos fazer o seguinte, você fica escondido escutando a conversa e vou falar que você foi na padaria para comprar mais coisas.

  - Beleza...

Olhei com desconfiança mas estava louco para ver aquele macho jogando todo seu encanto para cima dela.

Ela saiu do banheiro e perguntou onde eu estava. Meu pai respondeu o combinado e disse que eu iria demorar uns 15 minutos. De onde eu estava, conseguia ver os dois perto da mesa. Ela deu uma sorrizinho e sentou.

Fiquei atrás de uma cortina, onde não pegava claridade, na copa, que é conjugada com a cozinha, separada por um balção. A cozinha estava muito iluminada. Certeza que ela não conseguiria me ver.

Ela logo veio com um papinho para cima do meu pai:

  - Seu filho é um cara legal, estou gostando. Ele tem muitas qualidades...

  - Ah, sim. Ele nunca deu trabalho. Acho que foi bem educado. Ele vale ouro. Herdou de mim muitos aspéctos, modéstia à parte. - Disse ele sorrindo.

  - Deve ter herdado mesmo, ele é lindo, educado, companheiro, entre outras coisas.

  - Entre outras coisas ?

  - Entre outras qualidade que eu acho que ele tem - Ela falou olhando para sua boca.

  - É...Que qualidades são essas ?

  - Ele tem um corpo muito forte e bonito....

Quando escutei aquilo, percebi que meu pai estava dando corta para que ela se enforcasse.

Ele se levantou, foi até a pia tomando um copo de leite e encostou o rabo no balcão, com a vara meia bomba na calça social, sem camisa e ficou olhando para ela.

Ela continuou falando:

  - Todo grandão... - Olhando para a rola do meu pai.

Meu pai sempre tinha me dito que não se pode confiar em mulher. Que mais cedo ou mais tarde elas acabam se revelando. Que você só vai conhecer sua índole quando você se separa. Estava tento quase certeza disso.

- Voce acha que ele vai demorar mais que 15 minutos mesmo?

- Geralmente é isso que demora para ir a padaria.

- Estou indo para o quarto dele...esperar....

Ela saiu olhando para tras e subiu rapido a escada. Sai do esconderijo e meu pai falou:

- Eu falei, ela deve estar me esperando no quarto, uma vadia safada.

- Pois é. Vadia do caralho... Vou lá no quarto.

Cheguei no quarto, ela estava deitada de calcinha e sutien, de bruço na cama. Passei a mão no seu rabo e ela disse:

- Nossa, que mãos grossas, é de família.

Eu sabia que ela estava pensando que era meu pai. Então ela se virou e me olhou um pouco assustada. Continuei passando as mãos nos seus peitos.

Fui até a frente dela. Ela abriu meu zipper, pegou meu pau e começou a lamber a cabeça.

Eu não estava muito exitado, mas deixei ela continuar.

Meu pai chegou na porta discretamente e ficou olhando. Ele olhava como ela lambia a cabeça do meu pau. Olhei para ele na porta de canto de olho como se estivesse convidando para chegar mais perto. Seu pau começou a ficar duro na calça social. Aquele volume crescia meio que para baixo e a cabeça começou a marcar.

Fiquei recebendo a chupada olhando para o pau e abdome dele. Meu pau começou a inchar de tesão pelo meu pai. Ele olhava para mim e parecia perceber que eu estava com o tesao direcionado a ele.

Ele comecou a passar a mao no seu pau por cima ca calça olhando para mim.

Logo, ele veio chegando ao meu lado e tirou o pau pra fora. A vara estava duraça e com a cabeça babada. Ela segurou os 2 paus e esfregava. Estava tentando colocar os dois na sua boca. Ele me olhava  e sorria com cara de safado.

Eu estava com vontade de beijar aquela boca carnuda e bem desenhada. Ele me olhava focando os olhos em minha boca. Parecia querer o mesmo.

Eu estava louco para usar aquela vadia como um objeto para fuder com meu pai. Fui tirando a roupa. Meu pai retirou a calca social e pude perceber aquele rabo tesudo com a marca de sunga.

Ele deitou na cama virado para cima e ela foi logo para cima lamber o meio do seu peito musculoso e definido. Achei aquilo um tesão. Ele olhava para mim o tempo todo. Corria os olhos entre meio abdome e meu pau. Seu pau latejava e babava e o meu estava na mesma situação.

Ela  posicionou o pau do meu pai de forma que ficasse pegando no seu rabo enquanto lambia seu peito e pescoço.

Não sei porque mas ele não deixava que ela beijasse ele. Parecia querer dizer que se tivesse que beijar alguém seria eu.

Seu pau saia por tras do rabo dela e ficava ali, duraço e balancando na minha frente. Não resisti e cai de boca no rabo dela para lamber seu pau junto.

Quando comecei a lamber, aquela jeba começou a inchar e a babar. Eu sabia que ele estava com mais tesão na minha lambida do que nela. Meu pau pulsava muito chegando a escorrer uns fios de baba espessa.

Enquanto chupava, comecei a colocar o dedão no cuzinho dele. Ele deu uma gemida de macho e continuo. Percebi uma pulsada longa do seu pau. Ele apertou o cuzinho muito forte e uma baba saiu meio esbranquiçada. Senti o gosto da porra dele...que tesão de porra... meu pau babava sem parar.

Depois de um tempo, vi que o cuzinho dele já estava bem relaxado e resolvi colocar a cabeça do meu pau perto para ver o que rolava.

Coloquei a mão na cintura dela fingindo que estava querendo meter por trás. Enquanto isso, a cabeça do meu pau encostava no saco dele e molhava de baba. Eu podia sentir aquelas bolas duras e cheias de porra enquanto esfregava meu pau.

Ela estava com muito tesão e lambia o pescoso e peito do meu pai.

Ele ficava com as mãos trás da cabeça recebendo a lambida e me olhando. Após uns instantes, meu pau estava com a cabeca mirada no cuzinho dele e senti uma piscada forte, como se tivesse querendo que meu pau entrasse. Olhei para a cara dele e percebi um sorriso leve com um olhar de safado para mim. Eu estava explodindo de tesão.

Meu pau latejava e encostava na borda daquele cuzinho. Quando eu coloquei a cabeça quase que completa, ele deu uma piscada forte que meu pau saiu novamente. Meu pau estava molhando seu cuzinho e deixando cada vez mais escorregadio.

Forcei novamente e a cabeça foi entrando lentamente e seu cuzinho. Quando ele deu a piscada forte, a cabeça ja tinha entrado e, agora, ele piscava forte como se tivesse mordendo a cabeça do meu pau.

Meu tesão não me deixava mexer muito. Estava a ponto de gozar muito naquele rabo duro e musculoso.

Olhei para ele e falei, gesticulando a boca: "Não mexe".

Ele parou de piscar e meu pau latejava. Ele me fez um sinal com a cabeça como se quisesse dizer que estava sentindo minha vara pulsar.

Fiquei imóvel por uns 2 minutos até eu conseguir mexer novamente.

O pau dele estava entre o rabo dela e meu abdomem. A baba do seu pau me deixou com os gomos do adbomem totalmente melado. Segurei no seu pau e esfreguei mais em meus gomos. Ele comecou a gemer, uma gemito grave e que me deixava com mais tesão.

Sentia o cheiro de macho dele e seu pau babava porra misturado com o liquido transparente e com cheiro forte de porra de macho.

Empurrei meu pau para dentro dele vagarozamente. Ele me olhou nos olhos, fixo, com uma cara de safado, um leve sorriso e fazendo um sinal com a cabeça querendo dizer "Sim".

Fui mexendo para frente e para tras lentamente e ele comecou a gozar. Os jatos bateram no meu queixo e peito, escorrendo em meu abdomem quanto esfregava seu pau nos gomos. Não aguentei e comecei a gozar dentro dele. O cheiro da porra dele me excita e cada jato de porra que saia do meu pau, dentro dele, fazia com que ele piscasse o cuzinho e soltasse um jato de porra em mim.

Minha porra escorria pelo lado do seu cuzinho e eu nao queria mais tirar meu pau dali.

Baixei meu rosto e recebi uma gozada na boca. Lambi meus labios e nao conseguia parar de empurrar meu pau dentro dele. Ele abriu as pernas e eu podia sentir a parte de tras da sua coxa roçando na minha. Eu ainda podia ver aquele pau gigante escorrendo porra, inchado e pulsando.

Retirei meu pau e seu cuzinho escorria porra.

Eu mal podia acreditar que tinha feito aquilo com meu proprio pai. Tinha sido a melhor gozada até então. Sai da cama olhando para a cara dele de satisfação. Ele estava todo suado.

Então ela me olhou e falou:

- Já ?

Eu olhei para a cara dela e disse:

- Não aguentei, estava com muito tesão, vamos continuar isso outro dia.

Ela ficou muito brava. Mal sabia ela que a diversão toda já tinha rolado e ela ficou de fora.

Ela pegou suas coisas e foi saindo e se arrumando no meio do caminho. Então falei:

- Outro dia a gente se fala melhor, estou meio confuso com o que aconteceu.

Ela, achando que eu estava confuso com ela no meio de pai e filho falou:

- Não houve nada de mais. Nem transamos!

- Eu sei, mas outro dia eu te ligo ok? Tchau.

Ela saiu e não dei nem um beijo de despedida.

Quando voltei, meu pai estava saindo do meu quarto, nú, todo gozado, com o pau meia bomba e falou:

 - Poo, quando você vai trazer ela para uma outra dessas ?

 - Eu dispensei ela, acho que nunca mais.

 - Serio ? Poo, vamos ter que nos virar de outra forma.

Ele saiu me olhando com um leve sorriso dando uma olhanda para meu absomem cheio de porra dele.

No outro dia, no café da manhã, ele falou da foda como se eu não tivesse comido ele. Ele abstraia algumas coisas.  Eu falei:

- Poo, gostei de quando eu estava atras dela, rabo gostoso.

- Muito tesão aquilo. Eu também gostei sentir tudo aquilo, ela é muito safada....

Ele tentava dizer que tinha gostado de sentir a minha rola mas falava como se o tesão todo estava voltado a ela. Eu entrei na onda e falava com indiretas sobre o cuzinho dele.

Depois de alguns minutos, ele se levantou com o pau meia bomba com a calca social toda babada. O meu estava pulsando de tesão.

Ele me deu um abraço segurando na minha cintura. Eu esfreguei meu pau atravessado nele o pau dele ja levantou. Ele deu uma olhada para o meu pau duraço e saiu para o trabalho.

Fui acompanhando aquele rabo marcado na calça social com aquele jeitão de macho gostoso de caminhar.

A partir desta foda, as coisas ficaram mais fáceis para mim....

4 Aug 2011

Episódio 5 - Aprendendo a ser safado

(...)

Nem tomei banho. Estava suado da academia, com cheiro de macho e pau melado. Liguei a TV e estava passando jogo de futebol.

De repente, ele bate na porta, com 2 copos de wisky, sem camisa, só de calça social, com cinto aberto, vara mole e volumosa, e um cheiro de macho muito gostoso.

Olhei para aquilo tudo e disse:

- E cade a proteina ?

- Te mostro o pote daqui a pouco. ( Com um leve sorriso de safado)

Ele pegou a sunga do seu amigo da speedo que estava na arca e jogou em cima de mim dizendo:

- Coloca isso para ficar mais confortável. Vamos ver o jogo aqui no quarto.

Dava para ver que ele estava com a sunga vermelha por baixo daquela calça social. Trouxe uma sacola com alguns objetos dentro.

...

Fui ao banheiro colocar a sunga. Olhei-me no espelho, me deu tesão só em me ver usando aquela sunga preta que seu amigo usou na praia com aquele rabo marcando(episódio 1). Marcava muito minha vara e meu rabo. As entradas do meu abdomem realçaram. Era um pouco menor que a marca deixada pela minha sunga.

Escutei um arrastar de móvel no quarto. Sai do banheiro para ver o que tinha feito. Ele tinha virado a TV de frente para a cama e estava deitado vendo o jogo.

Ele me viu e falou:

- Essa sunga ficou quase certa em você. Essa marca de sol que aparece e essa entrada deixa a mulherada louca.

Dei um sorriso concordando e fui para a cama. Deitei ao seu lado. De onde eu estava, via aquele macho sem camisa, de calça social, aparecendo um pouco da sunga vermelha por baixo, com os bracos para tras. A luz da tv refletia em seu peito e abdomem bronzeado. O cheiro que saia debaixo do seus bracos era magnífico. Sua vara estava muito volumosa porém mole. Estava calor e eu conseguia ver umas gotas de suor em seu abdomem. As vezes ele passava a mão para secar.

- E ae, não vai beber comigo? Toma um gole pô!

Tomei um gole para começar a relaxar pois estava meio travadão. O jogo acabou e o time que ele torçe perdeu. Ficou puto. Xingou muito o juiz(como todo mundo faz quando perde) e começou a passar os canais, emburrado, para ver se tinha algo interessante. Quando passou pelo SexHot, deu uma parada.

Estavam duas mulheres se pegando. Uma morena e outra loira, bombadas, lindas. Ele falou repentinamente:

- Puta que pariu! Que gostosa do caralho! Ninguém vai comer essas vadias não ?...Fazia uma DP na morena FÁCIL!

- DP?

- É DP, dupla penetração, metê duas vara naquela buceta, nunca fez isso não ?

- Não né!

- Ah ? Vai dizer que vc nunca pegou uma gata com aquele seu amigo bombado lá da academia?! Vocês não se desgrudam, só saem juntos!

- A gente sai mas cada um pega a sua e vai para um canto.

- Putz, e eu pensei que era ultrapassado nos dias de hoje. Se bem que naquela época eu não tinha carro e tinha que pegar as gatas no carro dos amigos. Ai misturava tudo. Mas tem tempo, você vai aprender muito ainda.

- Eu já até pensei nisso mas o bixo lá não iria aceitar, ainda mais que meu pau é maior que o dele. Hehehehehe.

- Cara, vô te falar uma coisa: Quando você pega uma gata junto com amigo, um começa a tentar ser melhor que o outro para impressiona-la. É uma disputa simultânea de dois machos para que ela escolha o melhor. Isso é instinto animal. Todo macho, na natureza, tem uma forma de impressionar para que a femea o escolha. Nunca viu nos documentários? O leão exibindo sua juba e força, o pavão com a calda, macacos mostrando a vara para que a femea escolha a pica mais interessante. Até na grécia os caras treinavam sem roupa para a mulherada e uns viadinhos escolherem o melhor cacete.

Fiquei escutanto e pensando: "Ele deve ter estudado muito isso para estar tão tem resolvido com essa bissexualidade.".

- É, eu já tinha visto algo sobre isso numa revista.

- Então bixo, relaxa com isso. É assim mesmo. Ninguém pode dizer o que é certo ou errado. Deixa acontecer sem pensar muito. Eu, no seu lugar, já tinha pegado mais mulher com seu amigo do que sozinho. Ainda mais uns bixos sarados e bonitos como vocês.

Parecia que meu pai estava tentando me confortar com as coisas que vi no vídeo e com o que ocorreu na praia, no carro e há uns dias no meu quarto. Eu já estava resolvido mas ainda tinha um certo receio de falar algo com ele. Ele é muito brincalhão e sei lá, vai que ele esteja esperando eu falar alguma merda para tirar mais sarro da minha cara. Não queria arriscar.

Aquela conversa deu uma esfriada no clima. Ficamos vendo as duas se pegando. Seu pau estava meia-bomba. Resolvi colocar os braços para tras da cabeça e cruzar as pernas em cima da cama, deitado. Minha coxa pegou na sua perna e ele disse:

- Tais espaçoso hoje hem!

- To na minha cama, não é ? (Sorri olhando a sua boca do jeito que ele faz comigo.)

- Blz então grandão!(Descendo seus olhos até meu volume na sunga)

Ele colocou sua perna por cima da minha coxa e continuou a ver as duas se pegando na TV. Meu cheiro de macho estava gostoso também e se misturava com o seu cheiro. Percebi que ele dava umas olhadas para meu volume na sunga e as vezes balançava sua perna em cima da minha.

Alguns minutos depois, meu pau estava meia-bomba e começando a envergar naquela sunga. Se meu pau ficasse duro, a sunga não iria comportar o tamanho dele. Ele deu uma coçada no seu saco fazendo um barulho. Aquilo me fez olhar direto para seu volume que estava já comprimido naquela calça social apertada no quadril.

Meu pau começou a endurecer e a envergar. A sunga começou a levantar pois meu pau estava crescendo para o lado e levantando a sunga na altura da minha entrada do abdomem. A cabeça do meu pau era vista querendo sair daquela sunga.

Ele comecou a olhar meu pau e a passar as mão em seu abdomem rasgado. Não tirava o olho e a cada pulsada, fixava mais ainda os olhos esperando a proxima pulsada. Quanto mais meu pai secava minha vara, mais tesão me dava. Seu volume comecou a tomar forma de um cacete grande e grosso naquela calça. Meu pau deu uma pulsada forte e escapou da sunga indo parar em cima do meu umbigo, pulsante. Ele olhou e disse:

- Caralho, esse era o cacete que faltava no meio daquelas vadias(As mulheres que estavam passando na TV).

Meu pau já saiu da sunga babado com uma gota na ponta deslizando suavemente. O pau dele comecou a ficar atravessado naquela calça social. Ele deu um gole acabando com seu wisky no copo. Levantou com aquele volume todo olhando meu corpo na cama com metade do pau para fora da sunga, pulsando. Foi na sacola que tinha trazido e tirou aquele masturbador em forma de buceta e falou:

- Vou te mostrar como se usa isso aqui em uma DP.(Me olhando com uma cara de sacana)

Ele foi na porta e trancou com a chave. Fui acompanhando aquele rabo andando. Ele, de costas, era possível ver a ponta da sua vara ao lado do seu quadril. Aquilo impressionava por fazer parte de um corpo tão gostoso, sarado e safado. Ele voutou e veio em direção a cama com aquela vara pulsando de tesão. Pegou o controle e colocou no SportTv e aumentou bem o volume do som na TV.

Subiu na cama, em pé, jogou aquele masturbador para que eu apanhasse. Deu uma puxada em sua calça logo acima da coxa e se ajoelhou em cima dos meus joelhos. Minhas pernas estavam dobradas e ele encostou nossos joelhos ficando com sua vara bem proxima a minha.

Aquele homem sem camisa, de calça social, com o cinto aberto, aparecendo sua sunga vermelha com as entradas do abdomem, que começavam dentro da calça e saiam desenhando toda a sua musculatura das suas costas e abdomem, era inacreditável. Aquele antebraco veiado e grosso parecia ser de pedreiro.

Meu cacete pulsava e babava sem parar. Ele abriu seu zipper e fez força para retirar aquela vara grande de dentro da calça.

Aquela vara estava toda babada e com um cheiro de macho e um leve cheiro de porra. Ele pegou o masturbador e afundou no meu pau até o fundo olhando para minha cara. Senti como se fosse o seu cuzinho sendo fodido por mim.

Ele deu 3 bombadas com aquilo e deixou meu pau no fundo daquele masturbador. Em seguida, começou a colocar sua vara junto, dentro daquele mesmo buraco. A cabeça do pau dele era sentida fazendo força no corpo do meu pau, comprimindo-o. Então ele retirou o pau e disse:

- Porra! Essa sua vara é grande pra caralho, dois cacetes desse tamanho fica difícil.

Eu, no maior tesão e já desinibido com a tontura do wisky falei:

- Dá um jeito mas soca essa vara ai dentro.

Ele deu um sorriso aproveitando a piada de duplo sentido:

- Ai dentro? Cuidado com o que você me pede, posso interpretar errado.

Ele segurou a base do seu pau com uma mão e comecou a massagear a cabeça com a outra olhando para minha cara. Ele tirou a mão do seu pau e o-colocou proximo ao masturbador soltando um jato de porra quente na base do meu pau, proximo a entrada do masturbador. Pegou sua vara e lambusou seu pau com sua porra metendo fundo no buraco.

Aquele pau entrava e eu podia sentir agora, toda a sua vara comprimida com a minha dentro daquele masturbador. Ele socava forte e eu segurava o masturbador com as duas mão.

Podia ver seu abdomem contraindo no movimento. Seu rado empinado fazia um movimento de vai-e-vem.

Ele colocou uma de suas mão apoiada no meu peito e a outra no meio do meu abdomem, logo ao lado do masturbador, próximo a minha cintura. Eu olhava para aquele macho fixando meus olhos nos seus. Como se estivesse transmitindo uma mensagem de que estava com muito tesão por ele e que queria tudo o que ele podia oferecer.

Ele socava forte, profundo, suando, exalando seu cheiro de macho. Gemia como um macho viril, um som grave e gostoso. Seu suor pingava no meu peito e aquele corpo bronzeado estava encharcado, incessante de energia. Sua porra, que estava lubrificando nossos paus, deslizava e era pegajoza ao mesmo tempo. Ele fazia um movimento de amplitude alta em seu quadril, necessário para seus 20cm de vara. Aquilo me dava um tesão que tinha vontade de falar tudo que eu queria dizer e nunca tive coragem sobre meu tesão por ele.

Um macho, daquele tamanho, em cima de mim, fazendo aquela cara de tesão e safado ao mesmo tempo me deixava com vontade de te-lo, de possui-lo, só para mim. Era o cara que sempre imaginei em ter fudendo comigo.

Sua coxa parecia explodir naquela calça social. Comecou a vir uma vontade de gozar incontrolável e comecei a jorrar porra dentro daquele aparelho com ele socando.

Quando ele percebeu a porra jorrando do meu pau, que pulsava dentro daquele masturbador, ele segurou meu queixo com a mão que estava apoiada em meu abdomem, e falou:

- Goza olhando no olho muleke! (Me olhando fixamente com uma expressão de sereriedade, como se estivesse pronto para me fuder com fúria e tesão.)

Comecou a socar mais forte até sentir minha vara parar de gozar. Retirou o masturbador dos nossos paus e virou minha porra no meu abdomem. Meu pau pulsava, inchado. Ele comecou a cheirar minha porra no meu abdomem e não resistiu. Comecou a lamber aquela porra com uma cara de macho safado e faminto. Bebeu tudo lambendo entre meus gomos e, no final, meu pau já estava inchado e duraço novamente. Ele deitou ao lado na cama, do jeito que eu estava e falou:

- Agora faça o mesmo, do jeito que fiz com você.

Eu subi na mesma hora com o pau dolorido de tão duro e inchado, peguei o resto da minha porra no meu abdomem e coloquei no masturbador. Ele colocou seu pau dentro e segurou o masturbador. Eu comecei a socar apoiando meus bracos do jeito que ele fez comigo: Uma das mãos em seu peito e a outra naquele abdomem escultural.

Seu tesão despertou em mim um desejo incontrolável de ve-lo gozando olhando para minha cara.

Socava e sentia seu pau comprimido, parecia que estava socando em um cuzinho apertado. Metia até meu pau encontrar a cabeca do pau dele, lá dentro, e voltava até quase sair daquele masturbador. Sua cara de tesão olhando nos meus olhos, seu peito duro e seu abdomem de pedra me fazia ter vontade de gozar novamente.

Ele então comecou a gozar olhando para minha cara, desejando que aquilo não acabasse jamais. Parei meu pau no fundo e sentia o jato de porra encher a parte interna do aparelho.

Era tanta porra que saia que escorria pela sua calça social, entrando pela base do seu pau para dentro da sua sunga vermelha.

Eu retirei aquele masturbador dos paus e fiz o mesmo: Derramei aquela porra em seu abdomem. Comecei a cheirar e a lamber. Minha lingua percorria os caminhos que seus gomos, no abdomem faziam. Só pensava no tesão que estava sentindo. Ele estava em extasi e seu pau inchado pulsava.

Tomei toda aquela porra gostosa de macho. Branca, espessa, cheirosa. Uma porra digna de um macho tesudo, safado.

Deitei do seu lado e fiquei olhando para o teto. Ele falou:

- Aprendeu rápido garoto. Sua proteina é muito boa. Melhor que o Whey.

Eu respondi que a dele era muito boa também e que realmente não queria mais outra.

Ele sorriu e logo em seguida dormiu em um relaxamento total. Fiquei observando aquele espetáculo ao meu lado dormindo, gozado com a minha porra e pensando: "Cacete, que macho tesudo, quero ser igual a ele em tudo."

Fiquei ali e, logo apos alguns minutos, cai em um sono pesado.

Acordei no outro dia as 11:00 e vi tudo arrumado. A única coisa que evidenciava a ótima noite era minha sunga toda manchada de porra seca.

Sai da cama e fui tomar café. Depois fui navegar na net, ver agendas de aula, fazer atividades, etc. Minha mãe chega de carro sozinha.

Perguntei a ela sobre o pai e ele falou que não sabe onde ele está. Estava muito brava com alguma coisa.

A noite, ela chega novamente puta e fica esperando meu pai chegar.

Só mais tarde que ele chega e ela comeca uma briga feia. Escutei do quarto uns berros. Abri a porta lentamente para escutar:

- Queis arrumar amantes, arrume! Mas fala para elas não espalharem para todo mundo que você é um safado e que sou uma corna. Já não aguento mais esses comentários.

Ele falou que já tinha falado que nunca ocorreu nada e que isso era história da sua colega de trabalho. Ela não acreditava mais nele e não tinha jeito de convence-la.

Ele saiu e veio até meu quarto. Bateu na porta e eu disse que podia entrar. Ele entrou, de roupa social, com aquela vara volumosa para o lado, marcando, com uma camisa branca que desenhava seus bracos e peito, barba por fazer, um tesão. Dei uma secada rápida e ele comecou a falar:

- Tiago, tua mae tá ficando cada vez mais louca. Não consigo mais falar com ela. Uma vadia lá do meu trabalho, que é apaixonada por mim, está dizendo que ando pegando um monte de garotas por ai. Tua mãe tá acreditando e acabando com nossa relação. Ja tentei falar com essa vadia mas ele diz que nunca falou nada. Não sei mais o que fazer.

Seu olhar, sério e preocupado não tiravam a sua espressão de macho tesudo e safado nem nestas horas. Ele continuou falando:

- Vou dar um tempo na casa do teu vô mas passo aqui de vez enquando para te ver ok!?

Ele me abraçou e passou suas mãos grandes por todo meu dorçal parando uma de suas mão na entrada do meu abdomem, perto da cintura. Parecia que estava sentindo meus gomos com sua mão. Eu senti aquele peito encostado no meu. Seu volume encostava no meu. Estava usando uma calça de moleton. Passei minhas mãos em suas costas e parei na sua cintura perto do seu rabo empinado e duro. Minha vontade era de joga-lo aquela cama e fazer de tudo novamente.

Ele então saiu e disse:

- Falow meu garotão, te cuida! (Deu uma piscada e saiu olhando minha boca)

Fiquei puto com minha mãe, mas depois de um tempo, passou. Ele me ligava as vezes mas nunca falavamos nada picante. As vezes fazia umas piadas de duplo sentido que me deixava de pau duro no telefone. Já soquei umas falando com ele no celular sem que ele percebesse.

O tempo passou e arrumei uma namorada. Já fazia 3 meses que estava com ela. Meu pai já tinha voltado a morar em casa e a relação com minha mãe estava estável novamente mas não como antes. Era um misto de necessidade de estar junto com comodismo.

Nunca tinha levado minha namorada para casa. Eu sempre ia na casa dela. Até que ela comecou a pressionar para conhecer meus pais. Eu fui adiando pois achava que ainda não era o momento certo. Na sua insistencia, marquei um dia em que sabia que meus pais não chegariam cedo, pois assim, ela ficaria esperando e iria para casa sem conhece-los.

O tão esperado dia, para ela, chegou. Ela passou o dia comigo, em casa. Ela estava toda arrumada para ver os sogros. Quando a vi de saia do tipo colegial com uma blusinha e salto fiquei puto. Mas como eles não iriam vir a tempo, fiquei mais relaxado.

Ela gostou da minha casa e elogiou a decoração.

Sentamos na sala e ficamos abracado vendo TV. Comecei a notar que eu estava comecando a ficar com um cheiro de macho gostoso. Meu pau comecou a ficar meia-bomba. Notei que seus peitos começaram a ficar durinhos de tesão olhando minha coxa. Já era de tarde e levantei para colocar a cafeteira para funconar e preparar a mesa. Voltei e ela já estava me olhando com uma cara de que queria aprontar alguma comigo. Sentei ao seu lado e ela comecou e passar seus peitos no meu braco de leve e a esfregar uma perna na outra como se tivese com um tesão louco. Meu cheiro de macho devia mexer um pouco com ela. O pior que meu cheiro lembrava o cheiro do meu pai e me dava tesão também.

Coloquei a mão em sua calçinha e vi que estava ficando molhada. Dei um puxao olhando para sua cara e arranquei. Ela comecou a alisar minha vara mordendo os labios.

De repente escuto o portao abrindo, era meu pai chegando mais cedo. Fiquei puto. Joguei a calcinha dela debaixo de uma almofada e sentei correndo ao seu lado.

Meu pai entra e dá uma olhada para minha vara meia-bomba. Ele chegou e disse:

- Voce que é a famosa namorada do Tiago? Muito prazer.

Notei que ele deu uma secada nos peitos dela. Fiquei puto. Ele olhou fixamente para seus olhos e ela ficou sem fala por 5 segundos segurando aquela mão grande do meu pai.

Ela sentou de volta e ele sentou no outro sofá. Ele foi alargando sua gravata e aquele macho estava com uma calça e camisa social que marcava seu corpo todo, um tesão.

Minha namorada não parava de olhar aquele volume que ele exibia com orgulho.

Então, escutamos "tihmmm".

Ela disse:

- Acho que a torrada está pronta. (Olhando para mim com uma cara de cú)

Meu pai imendou a conversa e falou:

- É tiago, arruma lá um café para nós, estou com muita fome.(Me olhou com uma cara de safado e que iria aprontar alguma.)

Fiquei puto, não queria deixa-los sozinhos de jeito algum. Sabia que era um "prato cheio" para meu pai aquilo. Sua safadeza era previsível. Seu cheiro era um tesão e minha namorada não iria resistir aquele homem gostoso do caralho exibindo todo os seus dotes.

Sai em direcao a cozinha olhando para a cara dele com uma leve expressao de bravo. Ele acompanhou meu olhar com uma cara de macho tesudo.

Chegando na cozinha, comecei a arrumar tudo rapidamente para não dar muito tempo a eles na sala. Fui até a porta e dei uma espiada.

Meu pai estava com a mão embaixo da almofada em que eu tinha colocado a calcinha rasgada dela. Sua vara estava começanco a ficar maior.

Coloquei o restante dos talheres na mesa e fui ate a sala chama-los.

Olhei meu pai com a vara volumosa e envergada na sua calça, camisa totalmente aberta mostrando todo aquele peito e gomos de seu absomem, uma coxa explodindo na calça. Ela estava com a perna cruzada mexendo nos cabelos, de farol aceso(mamilos duros de tesão) e com uma cara de vadia.

Meu pai falou:

- Já estamos indo. ( Olhando a coxa da minha namorada por baixo daquela saia de colegial)

...(to be continue)